quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Testamento

vou matar o poeta que há em mim esquartejar seu corpo em cada letra do alfabeto (chega de sentimentalidades!)

se ao menos alguém ler eu vou saber que todos vão saber de você aqui 
em mim

agora uma noite inteira toma posse de mim

Nenhum comentário:

Postar um comentário