terça-feira, 24 de novembro de 2015

terapia de chão

hoje resolvi deitar no chão frio da casa
deitado em mim ao som de rock e agonias poéticas

lembro teus olhos enormes fitando meu horizonte
Olhos de profundidade Absurdamente a me fitar

aquela mulher longe de mim distante de mim se afastando de mim que eu amo e não amo
tanto assim

vou ali outro viver outro aprender te lembrar
pra nunca mais te esquecer
te esquecer
para poder lembrar
do chão que há em mim
e ele é habitado
pelo amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário