sábado, 7 de novembro de 2015

querência

quero sair de mim e tocar a tua mão

quero dormir palavras no papel
até esperar você acordar

deixa-me ir no barco do partir deixa ficar quando quiser te amar

esse lugar vazio de amores
desabandonou-se em mim
quero caminhar por teus caminhos 
nunca percorridos
só sei brincar de azul 
se tiver o mar
se tiver espaços 
quero me exilar nos teus abraços
então, deixa-me ficar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário