quinta-feira, 5 de novembro de 2015

quando eu não sabia dançar

vou te dizer adeus
até o adeus se acabar em mim

quando as águas turvas passarem
levando a ponte seremos ilhas de solidão

então iremos criar novos contatos até novamente tocar o outro

no outro é onde eu existo

todo dia festejo a tua existência em mim mesmo cravando uma dor você continua em mim

Também festejo o teu amor

o pensamento
vai ao teu encontro




Nenhum comentário:

Postar um comentário