domingo, 8 de novembro de 2015

quando deitas

quando as almas se deitam em seus descansos eu desejo que a noite te faça sonhar

e rezo pra que
não esqueças
de tudo
quando acordar

e que essa poesia
toque as tuas mãos

e se teus olhos grandes 
navegarem meu corpo eu receberei tuas palavras em beijos

se meus olhos curtos procurassem teu lábios eu te beijarei sem pressa

enquanto ela dorme meu coração cuida da noite

enquanto essas palavras tentam escapar eu escuto o gemido da queda
do meu coração

enquanto o verso não sabe dizer as razões eu digo dessa trama escondida nas tuas intenções



Nenhum comentário:

Postar um comentário