terça-feira, 3 de novembro de 2015

outro ponto

agora eu sei o amor não é meu nunca foi o amor é todo seu. meu é o vazio sem você

em mim agora 
tudo é uma contagem regressiva

a todos que aqui passeiam saibam que essa poesia não quer ser bela, a minha poesia só quer saber dela e deixar de sofrer

não é poesia é agonia e a ausência é uma rua vazia onde o amor corre em mim

agora nesse silêncio descortinado o céu em chamas

agora eu olho e minha visão quer se perder de mim

o dia é bem assim você distante de mim

que armadilha eu fui cair quando amei morri

2 comentários: