sábado, 21 de novembro de 2015

o rubicão de mim

passei correndo nessa estrada brisa sem você passei correndo no rio da solidão passei por mim e não pude mais voltar

agora não importa tanto importa o quanto você levou do meu coração

e quando os dias voltarem com o sol que tu não sabes eu te farei brilhar o que faltar na tua mão

esse peso de existir é tão cortante que quase me faz sentir prazer antes de me devorar

Nenhum comentário:

Postar um comentário