terça-feira, 10 de novembro de 2015

num céu distante

há um céu que não me faz esperar,
o que falta em mim
reflete-se nas nuvens
desse lugar
o amor veio
e me deixou
sem saber ficar,
essas palavras
não passam 
de uma reza, 
uma oferenda
aos caminhos
onde irei chegar,
enquanto você existe
no distante
dessas palavras
carregadas de sonhos
vou atravessando
as chuvas que não chegam
e assim vou molhar
teu corpo que não toco
e que não me sentes,
vou voltar aos lugares
que nunca fui
e me prender
nos mesmos lugares
onde teimo em morrer
todos os dias
uma chuva lava
o abandona de cada palavra
há um céu que não sabe esperar

Nenhum comentário:

Postar um comentário