segunda-feira, 26 de outubro de 2015

sem palavras

então tudo era miragem 
e me deixou perdido no deserto
e nunca estive perto quando
queria estar

as correntes já estavam lá
eu sabia mas não queria acreditar

sou estranho
numa terra de abandono
mas fui no convite
com nome de pode chegar

estranho fui feito
construído e aceito
estranho oferecendo
o que faltava
no amar

eu via e imaginava
e sonhava
mas me deram uma gaiola
para o meu sonho guardar

quando o trem passou
por mim
e eu acenei 
querendo amar
o trem não me via
não havia estação
pra mim
não havia disposição 
eu teria que esperar

agora tudo mudou
sou cego surdo
monstro e mudo
sou nada
estranho expulso
sou o que sou
você não viu
o meu amor

2 comentários: