quarta-feira, 28 de outubro de 2015

o que há

a saudade é um cão que late o amor é o chão em que partes a palavra é a dor que bate a ausência é esse corte que causastes

enquanto o segredo corre e teu falar não morre, tudo quer enfim sonhar

em mim há uma teimosia de esperar

há um amor proibido amor permitido amor descabido vivido assim esse amor bandido que só quer te achar

não vou me desgastar é o verbo que se gasta em mim esse verbo que me faz gostar

agora então percebo, não há razão em mim...
há amor em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário