terça-feira, 29 de setembro de 2015

Palavras Naufragadas


poesia de choro de crianças
poesia de abandono e de refugiados
poesia de travessia e de fronteiras
poesia de mares sombrios.

amanhã quem sabe outras tragédias
e uma chuva de mortes nas telas dos insensíveis,
crianças não morrem sem causa.

mundo cruel e opaco
que assiste omisso a morte de crianças,
como se fosse uma foto premiada,
palco mórbido de audiência estúpida

o mundo é um menino morto
no caminho dos sonhos
e, os meninos do mundo
alimentam esperanças
que o mundo decompõe

um menino morre na estrada que o sonho criou
para sobreviver,
o menino é o resto do mundo
com medo de aceitar e medo de querer ser

Meu coração é um navio em busca do mar, 
meu coração cercado de medo de naufragar, 
teus olhos permanecem ancorados no deserto de homens, 
onde todos se ausentam de amar

Nenhum comentário:

Postar um comentário