terça-feira, 29 de setembro de 2015

Palavras Entre Passado, Presente e Futuro

o amor vagando pelas ruas
não é luz
ele é lanterna
o barco da noite
é sem leme
imaginei uma bússola
ela me fez naufragar

de tanto não me arrependo
de tudo ainda tenho tempo
de ter tão pouco
falta-me o medo

vou desgastar o tempo
com saudade e poesia
até ele dobrar feito papel
trazendo recados de amanhã
que não existia.

depois de dobrar o tempo
vou esticar
até ele se rasgar
gemendo de dor
deixando escapar
promessas de amor

Um comentário:

  1. adoro a ideia de dobrar o tempo,
    de dar-lhe um nó, e fazer acontecer o que a gente realmente deseja.

    dizem que existem dimensões, múltiplas e paralelas.
    Me lembram seu poema.

    Beijo

    Beatriz

    ResponderExcluir