terça-feira, 28 de julho de 2015

Da Agonia da Vida e da Poesia

Antes de ser calcária a pedra é poesia,
antes do fogo, só a vontade divina existia.
e a vontade divina era poesia.
Antes do homem, o firmamento
não existia.
Antes do homem, o firmamento
era poesia.
Antes do fogo, o medo era poesia.
Antes do fogo, o medo nada consumia.
Antes do homem, a palavra não existia.
Antes do homem, a palavra era poesia.
Antes da palavra, nada existia.
Antes da palavra só a poesia existia.

Antes de ser pedra e poesia
em mim tudo é agonia.

Antes de toda agonia,
a poesia me consumia.
Antes da poesia,
nada em mim sobrevivia, 
E antes de mim, nem a verdade,
nem a poesia existia.

A poesia era uma pedra
da palavra agonia.
A poesia era uma pedra
onde tudo existia.
Onde existia poesia,
havia homem, pedra e agonia,
e a poesia há tudo consumia.

Porque de tudo que existe,
o homem
ou é pedra ou é poesia 
ou é agonia.
Tudo que existe é "homem",
tudo que existe é poesia.
E a palavra e a pedra
vivem tranquilas 
nessa agonia.

Só existe a vida, a pedra e a poesia,
porque o homem existe
na sua agonia.
E a sua agonia
tudo quer fazer poesia.

(quando esperava minha filha na escola)
Dedicado ao poeta Waly Salomão

Nenhum comentário:

Postar um comentário