quarta-feira, 24 de junho de 2015

Palavras de combate...


DE QUASE NADA
REFIZ MEUS SONHOS.
UM POUCO DE POEIRA
E CHEIRO DE SAUDADE...
DE NADA ERA FEITO O DIA,
ERA TÃO POUCO,
SÓ DE VOCÊ...

Foi um vasari nas minhas palavras...
Noite demente e as verdades dormentes...
Sou de lugar nenhum...
quero pertencer ao mundo e rosnar para a lua feito um cão sem dono.
o amor é tão tolo,
que quase consigo
rir da ideia de felicidade...
um vazio lunar....
e o espaço infinito
comportam minhas lamentações...

madrugou no meu sono,
biodegradável são minhas palavras morrendo em tuas mãos...
meu coração é um cartoon
que teu olhar desenhou...
sou "madeira que cupim não rói"

 Eram sonhos desfeitos,
nuvens pesadas,
com raios e trovões...
o mundo passa e eles não sentem,
não vivem nada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário