domingo, 20 de outubro de 2013

A PONTA DO ICEBERG...



já notou como é belo a ponta de um iceberg...
escondendo tanto, tudo, todo o perigo...
 e "você tem medo de que?"
O MEDO TE FAZ VIVER OU DEVORA VOCÊ...
já olhou sua bolsa, sua gaveta, seu armário, sua dispensa, sua cozinha, sua geladeira, seu banheiro, sua agenda...
suas lembranças, sua memória e a sua consciência...(?!)
como guardamos coisas desnecessárias...
limpe sua dor, limpe seu coração...
atenção: vou fazer uma revelação... vou dar nome aos bois: pretinho, malhado, manhoso, garantido e caprichoso... malandro... esperto... safado...
só faço novas revelações mediante pagamento de ofertas...
o mundo não é tão redondo quanto parece...
nem o céu é tão azul...
e como é lindo um choro sobre o leite derramado...
chora o boi, a vaca, os bezerros, o curral, o fazendeiro, os vaqueiros e até os ajudantes e capangas...
revelar é assim cansativo e dolorido...
o melhor mesmo pra velhas feridas é um curativo novo...
sempre queremos nossa vida boa de volta...
esquecemos como tudo é transitório...

em casa, onde a família é um laço...
onde laço comporta tantos...
onde todos reduzem-se ao querer juntos...
sonhos e esperanças são produtos dos moinhos....
quando não era, queria ser, agora que sou, não sei o que fazer...
o normal da vida é assim....água de beber
os dias são longos demais e os tolos são tão naturais...
eu me visto com pele de cordeiro, onde andará o lobo, quero matá-lo...
do que tenho culpa pergunta minha consciência, culpa de nada responde meu coração...
fuja da culpa retruca meus atos....como fugir pergunta meus olhos...
tente viver observa minha sombra...
amadureça grita minhas mãos...
tem sido assim todo dia, corrige meu espelho...
eu que suporto essa dor, confirma meu medos...
e pra mim que nada sobrou, lamenta meus sonhos...
eu que durmo com essa agonia, silencia meu sono...
ele não sou eu...enfatiza minha foto.
acordem todos os analistas de plantão e tragam respostas que o mundo ainda não ouviu...
não quero ler os outros, nem a leitura de mim, quero o diálogo...
vendo a vida passar diante de uma janela inexistente, como se viver fosse capítulo de final de novela...
veja se você é bonito(a) igual a mim, postarei não sei quando uma foto do meu umbigo (é pra onde gosto de olhar), faça suas comparações...
o que devo dizer quando alguém não lê
o que devo escrever para tocar em você...
eu vi, vivi as cenas do filme e o final era o esperado...
falar e escrever é emudecer-se...
de mim foi feito um longo esquecimento e, quando falam meu nome, o silêncio toma conta das memórias...
abro mão desse sonho e sigo vivendo nos sonhos alheios...
estive longe de casa e perto dos corações que não tinham morada...
fiz de mim um refúgio e me abandonei na chuva de você...
agora o tempo é meu inimigo...triste constatação!!!!

nem dias, nem horas, nem palavras, nem imagens conseguem acalmar a fúria do adeus...
sambation é o nome do rio que corre em mim nessas horas de agonia...
os amores brincam conosco nos porões das lembranças, lá eles sobrevivem tranquilos...
e a insônia deita-se comigo e rir ao meu lado...
vou acordar enquanto não consigo dormir, meu coração quer viver...
hoje é outro dia e o mesmo dia, é qualquer dia...
dia da distância...

NEM O AMOR NEM O ÓDIO DAS PESSOAS 
CONSEGUEM VERTER MINHAS INTENÇÕES...
Melhor que sentir medo é sentir carência, vá e complete-se...
o que fazer pra superar a dor? Viver!!!
queremos aceitação...
queremos espaço nas escolhas do outro...
queremos fincar os pés, criar raízes e virar semente...
queremos voar...sair, seguir, alcançar o outro lado do outro lado...
e por fim queremos voltar...
útero...
queremos tanto...

MEU CORAÇÃO É UMA PEÇA SEDENTÁRIA 
E MEUS OLHOS SÃO DOIS ESPECTROS DE ENFEITES...
somos todos inocentes...
tolos inocentes...
tolos e indecentes...
somos o que mesmo??!!!

uma fatia do poder vale a alma de muitos homens...
os mal intencionados e gananciosos se vendem tão facilmente...

agora suas palavras não me alcançam, eu me afogo nessa solidão que são os outros...
porque você não vem aqui, viver entre essas palavras e o conforto do meu coração...
quero me banhar em você, foi a última palavra que ela ouviu, e o telefone ficou mudo...
seguiu-se chuva, relâmpago e trovoada e um céu cinzento que dizia-lhe nunca mais...

quem vem primeiro a dor ou a saudade...
quem vem depois a lembrança ou a tristeza
saudade é esse vazio sem resposta...
distância é o tempo que não passa...


DESPREZÍVEL SÃO OS FALSOS, 
PORQUE ELES CRIAM A ILUSÃO DE SEREM VERDADEIROS. 
ATORES DO PRÓPRIO ENGANO, FINGINDO AMIZADE, AMORES E COMUNHÃO...

Nenhum comentário:

Postar um comentário